sintomas do covid-19

Conhecer os sintomas do COVID-19 é muito importante para saber quais medidas tomar diante disso. Afinal, com a pandemia acontecendo, muita gente pode acabar ficando um tanto "desconfiada" com os sinais, procurando manter-se atento para garantir não somente a sua saúde, como a de todos em sua volta.


Para tanto, elaboramos este artigo para que você saiba quais são os sintomas do novo Coronavírus e, a partir disso, tome as medidas adequadas contra o problema. Acompanhe a seguir e fique por dentro:

sintomas do covid-19
Médico segurando plaquinha escrito "COVID-19". Foto: Freepik

Quais são os sintomas do COVID-19?

De maneira geral os sintomas da COVID-19 são leves, como por exemplo, dor de garganta, tosse e febre. Apenas em casos mais raros os sintomas podem evoluir para sinais mais intensos, como dificuldade para respirar. Nestes casos, é possível que haja o desenvolvimento de um tipo de pneumonia, que necessita de atenção especialmente para o grupo de risco. Sendo que o grupo de risco consiste por:

  • Idosos;
  • Pessoas vulneráveis (com doenças crônicas como asma, diabetes e problemas cardíacos).

Se você faz parte do grupo de risco, procure manter-se ainda mais atento aos sinais, além de seguir as recomendações de lavar as mãos constantemente e evitar de levá-las até o rosto. O isolamento social também é interessante e muito eficiente. Portanto, se na sua situação ficar em casa é possível, aposte neste cuidado e tenha ainda mais segurança diante desta pandemia.

Ao notar os sintomas especificados, procure sempre cobrir a boca ao tossir e espirrar, a fim de não contaminar outras pessoas. E quanto à busca por ajuda, é adequado que ela aconteça apenas em situações específicas, e não em todos os casos. Abaixo falamos um pouquinho mais sobre isso. Continue lendo para entender.

Leia mais: Alimentos que ajudam a combater doenças

Mulher usando máscara para prevenir gripe. Foto: Freepik

Quando devo procurar auxílio médico?

Como mencionamos acima, os sintomas do COVID-19 podem ser leves, e em casos mais raros e específicos os sinais podem ser mais intensos. Portanto, se você tem notado febre, tosse e dor de garganta, é recomendável que você repouse em casa e mantenha-se isolado das outras pessoas, até haver a sua recuperação. Entretanto, se o quadro evoluir, é interessante que você procure auxílio médico.


Mas o que pode ser caracterizado como um "quadro que evoluiu"? Basicamente se você tiver falta de ar, muita dificuldade para respirar, é imprescindível que você vá ao hospital. Tendo em vista que uma das "consequências" do COVID-19 é uma pneumonia intensa, é adequado que você procure auxílio médico para iniciar um acompanhamento conciso para a sua situação.

Porém, se você não sente sintomas tão intensos, ficar em casa pode ser uma medida protetiva tanto para você, quanto para outras pessoas e para a sua família. Visto que se você for ao hospital "gripado" e não for COVID-19, você poderá estar se expondo ao problema. Em contrapartida, se você estiver infectado mas o caso for leve, você poderá estar levando o problema para pessoas vulneráveis no hospital.

Por isso é aconselhável o isolamento e a busca por ajuda apenas em situações onde há efeitos e sintomas mais graves.


Leia também: Cuidados com a gripe no inverno