O cloreto de magnésio é a forma que o corpo tem de suplementar, ou seja, jogar para dentro do nosso corpo, o mineral magnésio. Como sempre frisamos aqui, quando o assunto é nutrição, o corpo não produz vitaminas nem minerais. Sendo assim, adquirimos magnésio ,essa substância importantíssima através da alimentação, portanto, inúmeras pessoas não tem condições de se alimentar corretamente. A suplementação entra nesse momento, de forma coadjuvante na ingestão de nutrientes.


Quanto devemos ingerir de magnésio?

De acordo com o regulamento técnico da Anvisa, o consumo diário recomendado de Magnésio varia de acordo com a idade, sexo e grupo de risco, mas indica-se de forma geral uma ingestão de 36 a 270 mg por dia. Conseguimos essas quantidades através da alimentação, mas para que esses números fiquem claros e você consiga visualizar o quanto de magnésio ingere diariamente, veja essa tabela:

Principais fontes de magnésio

28 g de amêndoas = 80 mg de magnésio;
Meio copo de espinafre cozido = 78 mg de magnésio;
28 g de castanha-de-caju = 74 mg de magnésio;
Meio copo de feijão cozido = 60 mg de magnésio;
2 fatias de pão integral = 46 mg de magnésio;
Meio copo de arroz integral = 42 mg de magnésio;
1 banana de tamanho médio = 32 mg de magnésio;
100 g de peito de frango = 22 mg de magnésio;
Meio copo de brócolis cozidos = 12 mg de magnésio;
1 maçã de tamanho médio = 9 mg de magnésio.

Fonte: National Institutes of Health (NIH) – Agência de saúde do governo dos Estados Unidos

Sintomas de baixo magnésio no organismo

A deficiência de magnésio se manifesta com alguns dos sintomas abaixo:

Enxaqueca
Dores musculares
Fadiga
Depressão
Pré disposição à diabetes tipo 2
Constipação
Pressão alta
Arritmia cardíaca
Testosterona baixa

Cuidados com o cloreto de magnésio

Como tudo no corpo, o excesso de magnésio é péssimo também. O ideal é a que a suplementação do magnésio seja indicada pelo médico. Ele vai calcular as quantidades e fazer a prescrição. Essas quantidades, como já vimos, são relacionadas aos seus hábitos alimentares e o quanto você demanda de magnésio no dia a dia. As consequências do excesso de magnésio são graves: queda da pressão arterial, alterações na função renal, problemas respiratórios, parada cardíaca, entre outros problemas. Melhor não arriscar, não é?