Essa dieta especificamente tem uma história na minha vida. Quando eu tinha lá pelos meus dez anos, tive muito contato com a esposa de um primo meu, bem mais velho. Esse casal era bastante agradável além de ter uma forma peculiar de alimentação que, na época, eu não entendia bem. Minha família sempre se alimentou de forma bastante tradicional com massas, carnes, arroz, o basicão mesmo, e eu estranhava a forma com que eles comiam. Mas, por outro lado, achava muito mais interessante do que comer as mesmas coisas de todo mundo, então, por conta da curiosidade natural da idade, achei uns livros dessa prima e comecei a ler sobre dieta macrobiótica. O resultado não foi eu ter me convertido em natureba, mas aprendi algumas coisas para a vida e fizeram diferença para mim. No post de hoje eu conto para vocês do que se trata a macrobiótica e algumas dicas para quem quer se iniciar nessa nova forma de se alimentar.

Dieta macrobiótica famosa nos anos 80

A dieta macrobiótica não tem mais tantos adeptos como tinha nos anos 80, mas é bem mais um estilo de vida do que uma dieta. Ela foca sua atenção no Yin e Yang, que seriam as energias dos alimentos. Para que o corpo harmonize a alimentação com a saúde é necessário que essas energias sem equilibradas.

Dieta macrobiótica não é totalmente vegetariana

A macrobiótica, como falei no início do post já esteve super em alta e  é relativamente nova. Ela tem sua base  na medicina tradicional chinesa "yin yang" onde há dois tipos de energias no universo, que existem lado a lado e são consideradas complementares e opostas, fazendo bem ou mal.

Os alimentos Yin são aqueles mais expansivos, fonte principalmente de potássio e mais ricos em água. Eles incluem:

Aveia
Milho
Cevada
Centeio
Abóbora
Alcachofra
Cogumelos
Ervilhas
Lentilhas
Tomate
Berinjela
Espinafre
Beterraba
Alho
Pimenta
Pepino
Couve-flor
Chás.

Já os alimentos Yang possuem mais sódio e menos água (não inclui industrializados!) e englobam:

Alface
Repolho
Grão de bico
Trigo
Nabo
Cebola
Salsa
Agrião
Cenoura
Azeitonas
Amêndoas
Alho poró
Rabanete
Linguado
Camarão
Atum
Sardinha
Vinagre
Sal marinho
Mostarda
Baunilha
Açafrão
Alecrim
Óleos vegetais

 

Mastigar 50 vezes na dieta macrobiótica

Tem outras particularidades. Ela é basicamente vegetariana como falamos, mas não fica só nisso. É necessário mastigar os alimentos cerca de 50 vezes antes de engolir, comer os alimentos da safra, não fazer nada no micro-ondas ou panelas elétricas. Além disso:

50 a 60% da alimentação diária devem consistir de cereais integrais
Peixe, preferivelmente de carne branca
Sopa deve ser consumida 1 a 2 vezes por dia
25 a 35% incluem os mais diversos vegetais crus ou pouco cozidos
Sementes, oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas)
10 a 15% da alimentação consistem de leguminosas, derivados das leguminosas e algas


Espero que você tenha gostado de conhecer essa dieta cheia de sopas e cereais, onde se mastiga demais os alimentos mas que a boa saúde e a longevidade são os objetivos de quem pratica.