feminismo

Procurando livros sobre feminismo? Nos últimos tempos pudemos perceber que vários temas importantes do universo feminino vem ganhando maior espaço na mídia. E não estamos falando somente em dicas de beleza, dieta, moda e tudo que costumamos ver em suplementos dedicados ao público feminino, mas sim em assuntos como assédio sexual, violência doméstica, cobrança por padrões de beleza inatingíveis, discussões sobre gênero e vários outros. Tudo isso viabilizado tanto pelo debate de notícias de destaque quanto pelo trabalho de diversos artistas e celebridades que mostraram engajamento pelo tema. Ou seja: as pautas feministas estão ganhando um espaço de destaque cada vez maior e não vão sair dos holofotes tão cedo.

Feminismo

Se você está interessada em saber mais sobre o feminismo sempre vale a pena investir em livros que ajudem a entender melhor esse movimento. E para te ajudar nessa busca, separamos algumas dicas de obras que podem ser muito úteis para quem está dando os primeiros passos nesse universo.


Livros sobre feminismo

Vale lembrar que boa parte deles pode ser encontrado em livrarias comuns, porém outros são mais antigos e podem ser adquiridos via sebos ou ainda encontrados disponíveis online. Veja só a nossa lista:

Lugar de Mulher

Lugar-de-mulher

Ok, esse não é um livro sobre teoria feminista, mas é uma boa forma de começar, especialmente para quem ainda tem uma certa resistência ao tema. Na prática, trata-se de uma coletânea de textos publicado no site homônimo criado pelas autoras em 2014. Seu objetivo? Falar sobre feminismo, cultura pop, corpo, sexo, política, auto-estima, consumo e tudo o mais que esteja além de beleza, moda e autoajuda que são tão típicos de sites e obras dedicadas ao público feminino.

São textos curtos e super cativantes com assuntos variados que passam bem longe daqueles textos que querem ditar regras e determinar como uma mulher deve ser, se portar, falar e até mesmo existir. Lugar de mulher é onde ela quiser.


Sejamos todas feministas – Chimamanda Ngozi Adichie

Sejamos-todos-feministas

Escrito pela autora do bestseller “Americanah”, o livro “Sejamos todas feministas” é um ensaio adaptado do discurso que Chimamanda realizou no TEDx Euston. Nesse ensaio ela utilizou sua experiência pessoal como mulher e nigeriana para pensar nos esteriótipos de feminilidade e masculinidade e no quanto o feminismo é necessário para criar mulheres e homens mais felizes e autênticos consigo mesmos.

O texto é curto, fluido e bem escrito e muito interessante para quem quer em saber mais e ainda não tem familiaridade com o tema. Ele não é uma unanimidade entre as mais diversas correntes do feminismo, mas é ótimo para começar.


O que é feminismo? – Branca Moreira Alves e Jacqueline Pitanguy

O-que-é-feminismo

Obra da coleção “Primeiros Passos”, “O que é feminismo?” aborda a situação feminina na sociedade antiga, medieval e moderna, em busca das raízes do feminismo enquanto movimento político e social. Outra obra muito interessante para quem está disposta a se envolver mais no assunto.


Dicionário crítico do feminismo

O ‘Dicionário Crítico do Feminismo” traz uma coletânea de rubricas redigidas por autoras especializadas em cada uma das temáticas abordadas, estimulando a reflexão crítica sobre a construção social da hierarquia entre os sexos seja ele por códigos impostos desde a infância ou aqueles impostos por políticas públicas – com isso propiciando um desenvolvimento do pensamento em igualdade.


O Segundo Sexo – Simone de Beavouir

O-segundo-sexo

Simone de Beauvoir é uma das principais autoras feministas, sendo sua a frase “não se nasce mulher, torna-se mulher.” “O Segundo Sexo”  é um estudo sobre a mulher e seu papel na sociedade. Divididos em dois volumes, ambos os livros abordam os fatos e mitos da condição feminina bem como também essa condição em todas as dimensões: sexual, psicológica, social e política, em especial pelo fato do papel da mulher ser definido apenas em função do homem, mas nunca dela própria.

Atualmente a obra pode ser encontrado à venda em volume único, porém também pode ser encontrado em sua divisão original em sebos e bibliotecas. Outros trabalhos da autora também são interessantes para quem está estudando o feminismo, mas sem dúvida “O Segundo Sexo” é um dos grandes clássicos da literatura feminista.


O mito da beleza – Naomi Wolf

O-mito-da-beleza

Acostumadas a escutar que a mulher moderna vive uma dupla jornada, Naomi Wolf discute a forma como essa jornada se converteu em tripla: lidando com a carreira e com a família, ela também enfrenta em seus momentos de folga em um investimento obsessivo em sua aparência. Ela luta para manter a juventude e a beleza que permitirão preservar justamente sua posição no trabalho e o lar. Uma busca obsessiva que é uma versão moderna dos controladores sociais instituídos pela Revolução Industrial, em especial porque o resultado gera um grande dilema: nem sempre o espelho pode retornar as imagens que a publicidade e a pornografia ditam como o padrão de beleza vigente.


Breve História do Feminismo – Carla Cristina Garcia

A obra conta a história do feminismo utilizando como sua definição “a tomada de consciência das mulheres como coletivo humano da opressão e exploração por parte do coletivo de homens no seio do patriarcado sob suas diferentes fases históricas”. mostra ainda como o movimento é articulado como uma filosofia política e movimento social, bem como consciência crítica sobre as contradições dos discursos que confundem o masculino com o universal.


Complexo de Cinderela – Colette Dowling

Complexo-de-cinderela

Embora não seja um livro sobre teoria feminista, a obra trata de um assunto importante. Best-seller na década de 1980, a autora explora a ideia de, por muito tempo as mulheres terem sido levadas a acreditar que a solução de todos os problemas estava em encontrar o prínciper encantado e que, uma vez encontrado, sempre haveria alguém mais forte para protegê-la. O livro parte da experiência da própria autora que, com o fim de seu casamento, foi obrigada a se deparar com uma nova realidade: a de que estava sozinha e precisava assumir responsabilidades por si só.

Colette Dowling ainda é autora de outros livros com temática feminista como “Complexo de Perfeição” e “Complexo de Sabotagem”, ambos merecendo também uma oportunidade na lista de leitura sobre o assunto.


Como se ensina a ser menina: o sexismo na escola – Monteserrat Moreno

Neste livro, a autora mostra como a concepção androcênica – o homem como ser humano e “masculino” no centro dos acontecimentos – está presente tanto na sociedade que atualmente começa na escola, instituição na qual se constata a presença do sexismo. Monteserrat ainda propõe que a escola passe a rechaçar e criticar todo pretenso fundamento científico em nome do qual se discrimine a mulher, sendo essa uma forma de romper a transmissão do androcentrismo.


 

Sobrevivi, posso contar – Maria da Penha Maia Fernandes

Sobrevivi-posso-contar

Embora não seja um livro sobre feminismo ele tem tudo a ver com o assunto, em especial para as mulheres brasileiras. Isso porque se trata da biografia daquela que se tornou símbolo da luta contra a violência doméstica e familiar no Brasil e símbolo da lei nº 11.340, que leva o seu nome. Na obra, ela relata a violência que sofreu e oferece sua história como forma de contribuir com transformações pelos direitos femininos.


Feminismo e Política – Flávia Biroli e Luis Felipe Miguel

feminismo-e-politica

O livro aborda a teoria política que foi produzida nas últimas décadas e, especificamente as principais contribuições políticas do feminismo a partir da década de 1980, cujo debate serviu para tematizar, questionar e complexificar categorias centrais através das quais sempre foi pensado o universo da política. O resultado é uma obra que apresenta os termos em que tais debates se colocaram dentro do feminismo, identificando e mapeando ainda as posições das diversas correntes. Em suma: é um panorama bastante atual e útil também para introduzir leitores interessados mas que estão pouco familiarizados com a discussão feminista.


Mulheres que correm com os lobos – Clarissa Pinkola Estés

Mulheres-que-correm-com-os-lobos

A sensação de vazio, fadiga, medo, depressão e fragilidade são problemas muito comuns entre as mulheres dos tempos atuais, em especial devido ao acúmulo de funções pela dupla jornada, como carreira e família. Mas esse problema realmente é algo novo? Não na opinião da psicóloga junguiana Clarissa Pinkola Estés que atribui essas sensações a algo mais antigo e diretamente relacionada ao desenvolvimento de uma cultura que transformou mulheres em uma espécie de animal doméstico.

Nesse livro, Clarissa adotou a interpretação de lendas e histórias antigas para propor o resgate do arquétipo da mulher selvagem. Esse resgate é iniciado através do uso de diversas técnicas junguianas e de formas de expressão artística. Ou seja: a proposta da obra é o resgate dessa mulher selvagem que existe em todas nós. Muitas leitoras relatam a obra como um início de uma jornada de autodescoberta muito edificante.


Memórias da Transgressão – Gloria Steinem

memorias-da-transgressao

O livro é uma coletânea de ensaios da autora e que desperta o interesse de ambos os sexos, sendo um grande sucesso de vendas na época de seu lançamento. O texto mais conhecido da obra é o “Se os homens pudessem menstruar” que volta e meia pode ser encontrado em diversos sites, porém também merecem destaque os textos ‘Eu fui coelhinha da Playboy”, “Porque as jovens são mais conservadoras” e “A verdadeira Linda Lovelace”.


E então? Tem alguma dica de livros sobre feminismo que não está nessa lista? Então deixe seu comentário no post e contribua!

Recomendados para você: