tontura-na-gravidez

A gravidez é uma das etapas de maior plenitude na vida da mulher. Onde ela deve se sentir ainda mais feminina e segura consigo mesma. Contudo, aquelas que já passaram pela fase sabem que, infelizmente, nem tudo são flores. E a gravidez, devido à intensa modificação que o corpo feminino sofre, pode vir acompanhada de alguns sintomas, sendo as tonturas um dos primeiros da lista.

As tonturas costumam aparecer no primeiro ou terceiro mês de gestação.

As tonturas acontecem devido principalmente à oscilante mudança no sistema circulatório que, para se adaptar à nova condição do corpo, precisa se expandir com maior velocidade para dar conta da maior quantidade de sangue circulando. E de outros hábitos, como ficar muitas horas sem se alimentar, levantar-se bruscamente e permanência em ambientes muitos quentes e fechados.

Como evitar?

Para passar longe das desconfortáveis tonturas, é preciso que a grávida mantenha um estilo de vida o mais saudável possível. Principalmente quanto à alimentação. Se alimentar corretamente, respeitando o horário e fracionando as refeições (seis ao dia), e tomar bastante líquido (água, sucos naturais e chás), são medidas fundamentais para evitar as tonturas.

tontura-na-gravidez

A alimentação das grávidas deve incluir, sobretudo, carboidratos integrais. Eles evitam a hipoglicemia (quedas bruscas de glicose) que ocasionam as desagradáveis tonturas. Além de conter alimentos fontes de ácido fólico. A vitamina amiga das mulheres e do bebê durante o período gestacional. Tomate, brócolis, melão, cogumelo, feijão branco, nozes, amendoim e espinafre. São alguns dos alimentos ricos em ácido fólico.

Ao sinal de tontura, a grávida deve procurar sentar-se lentamente, colocando a cabeça no meio das pernas. Se puder deitar, a maneira correta é deitar-se na cama com a parte superior apoiada em um travesseiro grande e os pés para cima, posição que facilita a circulação do sangue.

Praticar atividades físicas é ideal para as grávidas.  Elas ajudam a manter a pressão arterial estável e melhorar a circulação sanguínea, deixando o corpo da gestante melhor condicionado e forte para lidar com as mudanças ocorridas nessa fase. Busque por exercícios de baixo impacto, relaxantes e que alonguem o corpo: Yoga, Pilates e caminhadas leves. Porém, nunca pratique exercícios sem receber antes a liberação do seu ginecologista-obstetra.