imagem_2108121345578355_g

Meninas, vocês sabem as diferenças entre pintas, manchas e nevos? Todos eles são lesões que podem ser planas e/ou elevadas e com colorações e aspectos variantes. Com questão a formação, também podem ser ou não congênitos (presentes desde o nascimento) e com a presença de pelos. Felizmente, grande parte dos nossos sinais corporais costumam ser benignos. Porém, outros deles podem se transformar em um câncer de pele. Dessa forma, a ida a um dermatologista é essencial quando notarmos novas pintas ou manchas estranhas na pele, certo?

Na maioria das vezes, as pintas começam a aparecer quando somos crianças e tendem a aumentar durante a vida. Há também a predisposição genética e exposição ao sol (sem o uso de protetor solar) que podem desencadear o aparecimento das marquinhas. Normalmente, pessoas adultas costumam ter de 10 a 40 pintinhas. Em exceções, o número pode subir para mais de 100.

pintas-na-pele

Cuidados e tratamento

Existem outros sinais que devemos observar com atenção. Eles são: variações das cores azul, preta, cinza, esverdeada e marrom em uma mesma pinta; tamanho; bordas regulares ou irregulares e assimetria – quando uma pinta redonda perde sua forma e se torna assimétrica. Todas as marcas que se tornarem suspeitas devem ser avaliadas e removidas em uma pequena cirurgia.

No caso das pintas, durante o processo, é aplicada uma anestesia local e então, com a ajuda de um bisturi, o dermatologista a retira e envia para análise. O melhor de tudo é que grande partes das extrações deixam apenas pequenas cicatrizes no local.

Recomendados para você: