Pílula do dia seguinte Tudo sobre o anticoncepcional de emergência 1

A Pílula do Dia Seguinte é um contraceptivo de emergência. Ela normalmente é usada quando a camisinha estoura durante a relação sexual ou quando o casal simplesmente se esquece de usar o preservativo, a pílula anticoncepcional ou outro método.

No organismo da mulher, a pílula do dia seguinte age com o objetivo de retardar ou inibir a ovulação, impedindo desta forma que o espermatozoide gere a fecundação, mesmo depois de entrar no útero.

Pílula do Dia Seguinte

A pílula do dia seguinte não é um abortivo, afinal, ela age antes de acontecer a gravidez. Basicamente este medicamento cria dificuldades para o encontro do óvulo com o espermatozoide. Se, por acaso, a fecundação já aconteceu, a pílula não tem efeito algum.

A pílula do dia seguinte evita que o óvulo seja fecundado pelo espermatozoide. (Foto: Divulgação)
A pílula do dia seguinte evita que o óvulo seja fecundado pelo espermatozoide. (Foto: Divulgação)

O contraceptivo emergencial pode ser comprado nas farmácias sem prescrição, mas é importante ter em mãos uma receita médica para tornar o consumo do remédio mais seguro. Com eficácia de até 90%, a pílula do dia seguinte tem ajudado muitas mulheres a evitar uma gravidez indesejada.

No entanto, trata-se de um método de emergência, por isso o medicamento não pode ser consumido com frequência. Ao tomar repetidas vezes, os efeitos colaterais se tornam mais severos e o risco de engravidar aumenta.

Nomes da Pílula do Dia Seguinte

Para quem deseja comprar a pílula do dia seguinte e quer evitar constrangimentos na hora de pedir o medicamento na farmácia, já postamos aqui no blog uma lista com o nome de várias pílulas do dia seguinte. Clique aqui e confira os nomes, desta forma você poderá solicitar o medicamento pelo nome correto.

Como usar pílula do dia seguinte?

Existem dois tipos de pílulas do dia seguinte: a primeira deve ser tomada em uma dose única, em no máximo 72 horas após a relação sexual desprotegida. Já a segunda tem duas doses, sendo que o primeiro comprimido precisa ser ingerido logo após o sexo e o outro após 12 horas.

Quanto mais tempo a mulher demora em tomar a pílula do dia seguinte, menos eficaz o medicamento se torna.

O consumo deve acontecer em n máximo 72 horas. (Foto: Divulgação)
O consumo deve acontecer em n máximo 72 horas. (Foto: Divulgação)

Efeitos colaterais da pílula do dia seguinte

A dosagem alta de hormônios da pílula do dia seguinte desencadeia diversas reações no organismo. O principal efeito colateral é alteração no ciclo menstrual, que por sua vez, dificulta o cálculo do período fértil. A mulher também pode ter dores de cabeça, mal-estar, náuseas, dores no corpo, aumento de peso, crises de vômito e sensibilidade nos seios.

O contraceptivo de emergência causa náuseas, dores de cabeça, entre outros efeitos colaterais. (Foto: Divulgação)
O contraceptivo de emergência causa náuseas, dores de cabeça, entre outros efeitos colaterais. (Foto: Divulgação)

Quando consumida com certa regularidade, a pílula do dia seguinte pode oferecer riscos à saúde, causando danos no aparelho reprodutor. Nos casos mais severos, a mulher pode até perder uma trompa e dificultar uma futura gestação. Como qualquer outro remédio, a pílula do dia seguinte também possui contraindicações.

Ela não pode ser consumida por mulheres que sofrem de alguma doença vascular ou hematológica. O uso da medicação oferece riscos em casos de obesidade mórbida.

Recomendados para você: