Ovário Policístico e Gravidez 3

Ovário policístico e gravidez, tudo o que você queria saber. Por isso, hoje vamos tratar de um assunto que afeta muitas mulheres: a síndrome do ovário policístico. Eu tenho algumas amigas com este problema de saúde e acompanho de perto as dificuldades que elas enfrentam para controlar os sintomas.

Entendendo a Síndrome do Ovário Policístico e gravidez

A Síndrome do Ovário Policístico, também conhecida pelas siglas SOP, é uma doença caracterizada pelo desequilíbrio dos hormônios femininos, ou seja, estrogênio e progesterona.

A síndrome do ovário policístico é uma doença que atinge muitas mulheres. (Foto: Divulgação)
A síndrome do ovário policístico é uma doença que atinge muitas mulheres. (Foto: Divulgação)

Os hormônios ajudam a desenvolver os óvulos no ovário. No entanto, as alterações nos níveis hormonais podem dificultar a ovulação, já que os folículos (bolsas dentro dos ovários que contêm óvulos) não se desenvolvem adequadamente. O ovário policístico tem sintomas característicos, como as falhas na menstruação, o aprofundamento do timbre da voz, o aumento do clitóris, o tamanho reduzido das mamas, as acnes, a facilidade para engordar e aumento na quantidade de pelos no corpo.

A síndrome do ovário policístico afeta, sobretudo, mulheres com idade entre 30 e 40 anos. O diagnóstico é realizado através de exames, como exame de sangue, avaliação dos níveis hormonais, Ecografia vaginal e Laparoscopia pélvica.

O problema torna a menstruação irregular. (Foto: Divulgação)
O problema torna a menstruação irregular. (Foto: Divulgação)

O tratamento da doença é medicamentoso, podendo incluir pílulas anticoncepcionais, metformina (aumenta sensibilidade à insulina) e citrato de clomifeno. Antes de ingerir qualquer remédio para tratar o ovário policístico, é necessário procurar orientações de um médico. De qualquer forma, vale ressaltar que a doença é crônica e por isso o seu tratamento é sintomático.

A mulher que sofre da síndrome do ovário policístico pode apresentar complicações, como maior risco de câncer de endométrio, cistos nos ovários, câncer de mama e doenças relacionadas à obesidade (diabetes, pressão alta e problemas cardíacos). Entre as principais consequências da doença, vale destacar a infertilidade.

Síndrome do ovário policístico e Gravidez

Uma das principais características da síndrome do ovário policístico é o fato dela criar dificuldades para engravidar. Isso acontece em virtude do ciclo menstrual espaçado, que consequentemente acaba atrapalhando a ovulação.

Engravidar é um pouco mais difícil, mas não impossível. (Foto: Divulgação)
Engravidar é um pouco mais difícil, mas não impossível. (Foto: Divulgação)

Para driblar a infertilidade, os médicos normalmente receitam os estimuladores do hormônio FSH, que são remédios que ajudam na liberação de óvulos e elevam as chances da mulher conceber um bebê.

A síndrome do ovário policístico não torna a mulher necessariamente infértil. Ela pode conseguir engravidar sem tratamento e, após a gestação, a doença tem chances de se tornar mais leve e até desaparecer.

A menstruação desregulada é um sintoma típico da síndrome do ovário policístico.