Quem já sentiu uma dor do peito que surge sem avisos sabe que é muito assustador. A dor, próxima aos nossos órgãos vitais, nos deixa muito apavorados com medo de que seja algo gravíssimo e irreversível. Mas, embora o infarto comece realmente com uma dor no peito nem sempre é sinal de que ele esteja acontecendo. Existem outros motivos para que a dor nessa região surja e estando bem informados podemos ficar mais tranquilos e ajudar outras pessoas que passem por essa situação.

Meu pai, o Seu Ruy, era como a maior parte dos homens em idade avançada, só ia ao médico se o pé já estivesse sacudindo da cova. A gente sabe que é verdade. Nada os convence a ir a uma consulta, fazer exames preventivos se a dor não estiver instalada e sem formas de amenizar. Uma cultura antiga e um medo sem embasamento, mas que sempre foi assim. Voltando ao caso do meu pai, ele tinha dores fortes no peito e não ia ao médico por nada. Certo dia minha mãe o pegou fazendo ” massagens no coração”  com um desentupidor de pia cor de rosa, e, segundo ele, funcionava. Minha mãe que não era boba nem nada, se ligou que dor no coração não se cura com desentupidor de pia e colocou um remédio pra gases dentro do suquinho e ofereceu ao falso infartado. O ataque cardíaco passou, a dor também e ela só revelou o milagre anos depois.

Dor no peito

A dor no peito pode ser sim gases e outras tantas causas que precisam de tratamento. Alguns podem ser curados com simples gotinhas e outras dão até mais trabalho do que uma cirurgia cardíaca. Vamos conhecer todas as causas e saber o que fazer em cada uma delas.

dor-no-peito

Como saber se a dor no peito é no coração?

Um estudo realizado no ano 2000, pela Universidade de Michigan — EUA, avaliou, entre 400 pacientes com dor no peito frequente, que somente 11% possuíam problemas cardíacos. O diagnóstico da pesquisa mostrou que em 53% dos voluntários não foram encontradas causas definidas para a dor e nos outros 36% os sintomas são originados por problemas nos músculos ou esôfago. Ainda sim, doenças crônicas não transmissíveis, como se encaixam os distúrbios no coração, correspondem a 72% dos óbitos no Brasil, portanto não se deve ignorar sintomas como aperto ou desconforto no peito.

A intensidade da dor pode variar de incômodos leves à sensação de aperto, pressão ou queimadura no peito. Em casos graves, a dor se espalha ao pescoço, mandíbula, costas e braços. Os indivíduos devem ir ao hospital quando a dor se prolongar por mais de 20 minutos ou estar associada a outros sintomas, como tonturas, suores frios, dificuldade de respirar e dor de cabeça. Dependendo da causa, a doença pode evoluir e piorar o estado de dor no peito ou levar ao óbito.

Dor no peito de origem cardíaca

A dor causada por doenças no coração é descrita como um aperto, pressão ou peso sob o peito. Pode irradiar para outras áreas próximas, como costas, pescoço, mandíbula, ombros e braços (principalmente o esquerdo); e se tornar mais intensa com a realização de exercícios físicos. A dor pode parar e voltar em torno de minutos. Outros sintomas associados a dor no peito de origem cardíaca:

  • Suor frio ou excessivo;
  • Tontura ou fraqueza;
  • Náusea ou vômito;
  • Dor de cabeça;
  • Falta de ar;
  • Taquicardia.

Dor no peito de origem não cardíaca

As dores não cardíacas ainda necessitam de tratamento, mas não são tão preocupantes. Possuem a localização pontual e não se espalham para outras áreas, com as dores piorando somente quando o tórax faz algum movimento, se o paciente respirar profundamente ou apertar a área dolorida. Não evoluem com estresse emocional, ao contrário da dor no peito de origem cardíaca. Segue abaixo outros sintomas associados a dor no peito de causas não cardíacas:

  • Gosto azedo na boca ou sensação de náusea;
  • Dificuldade em engolir;
  • Sintomas da azia, como sensação dolorosa e ardente por trás do osso esterno.

Dor no peito pode ser sintoma de ansiedade

Como falamos ali acima a dor no peito pode ter uma causa bem séria que é a ansiedade. Aquela angustia tão grande que faz realmente o peito dor fisicamente. Isso acontece porque ela,  assim como o excesso de estresse, provocam um aumento da tensão muscular nas costelas, além de aumentar os batimentos cardíacos. Esta combinação provoca uma sensação de dor no peito, que pode surgir mesmo quando a pessoa não se sente estressada, acontecendo mais comummente em quem está frequentemente estressado ou sofre de síndrome do pânico e ansiedade. Se identificou com essa causa?

Bom, a dor no peito nesse caso não vem sozinha. Para alguns, ansiedade causa dor no peito, para outros ela aparece junto com alergias, distúrbios gástricos e insônia. São alguns dos sintomas corporais comuns da ansiedade:

  • Alergias (aumento na intensidade, tipos e reações com maior durabilidade);
  • Dores musculares, nas costas, tensão, pressão, problemas de coluna “travada”;
  • Palidez facial, causada pela contração dos vasos sanguíneos;
  • Vermelhidão (pele corada além do normal);
  • Alteração brusca de temperatura corporal;

A dor no peito provocada pela ansiedade situa-se basicamente sobre o coração e quem a sente relata ser uma dor aguda. Essa tortura aumenta no momento da respiração, entretanto, deve demorar somente entre 5 e 20 minutos. Os ansiosos que sofrem com dor no peito contam que, se pressionar o peito com as mãos enquanto está acontecendo a dor, ela tende a aumentar.

Tente repousar em um local calmo, tomar um chá calmante, como valeriana, ou fazer alguma atividade de lazer, como ver um filme, jogar, ir na academia ou fazer jardinagem.


Dor no peito pode ser  Cálculo biliar

Pode causar a dor no peito e outros sintomas em paralelo, como febre, náuseas, vômitos e falta de apetite. A dor costuma ser aguda e repentina, que se espalha para a barriga e o ombro, do lado direito

Dor no peito pode ser lesão nos músculos

Dor no peito ao respirar pode ser sintoma de lesões nos músculos ou fraturas, infecções e agressões nas costelas. Tosse intensa também pode causar dor na região.

Dor no peito pode ser  distúrbio pulmonar

Certas doenças que afetam diretamente os pulmões podem causar dor ao respirar, como nos casos de pneumonia (infecção nos pulmões), embolia pulmonar (artérias do pulmão obstruída por coágulos) e hipertensão pulmonar (pressão alta nas artérias dos pulmões).

Dor no peito pode ser  câncer de pulmão

Dor contínua que pode ser sentida no peito e nas costas. Junto com a dor no peito, apresenta os seguintes sintomas: dedos em forma de baqueta (com as pontas inchadas), hemoptise, dispneia, tosse, entre outros.

Dor no peito pode ser inflamação dos órgãos

As inflamações mais comuns que causam dor no peito do lado direito são: gastrite (inflamação do estômago), hepatite (inflamação do fígado) e pleurisia (inflamação da pleura, membrana que cobre o pulmão).


Dor no peito pode ser  pericardite

Inflamação do pericárdio, membrana que cobre o coração. Começa com uma dor aguda no peito e se espalha para as costas. Os sintomas também manifestados com a doença são: tosse seca, dificuldade em respirar, febre, fadiga e ansiedade.

Outras causas de dor no peito

  • Artrite e artrite reumatoide;
  • Hipertensão arterial;
  • Fibromialgia;
  • Estenose da válvula aórtica;
  • Herpes Zoster;
  • Miocardite;
  • Cardiomiopatia;
  • Alterações da aorta, como calcificação da aorta;
  • Complicação nas veias ou aortas.

E sim, podem ser apenas gases. Fique atento aos sintomas e procure seu médico.

Recomendados para você: