O congelamento de óvulos pode ser uma alternativa viável para mulheres que desejam ter filhos depois dos 30 anos ou em casos de doenças graves em que não sabem se poderão ter filhos ou não.

O procedimento pode ser feito até os 35 anos e é cada vez mais comum no Brasil.

Se a mulher congelar seus óvulos até os 35, poderá engravidar aos 45, minimizando  os riscos de aborto e más formações do feto. Ou seja, a mulher pode engravidar aos 40 ou 45 anos como se estivesse com a mesma saúde de quando tinha 30 ou 35. Outras situação recomendável é no caso de doenças como o câncer. Depois do tratamento, a mulher pode utilizar os óvulos e tentar uma gestação. Eles podem ficar congelados por tempo indeterminado e o procedimento é seguro, com uma tecnologia sólida, conhecida e reconhecida.

Fertilização in vitro (FIV)

o4

A mulher precisa ser submetida a um processo de fertilização in vitro, que envolve o estímulo do ovário e uma punção ovariana com pequena sedação. Vale lembrar que os óvulos congelados podem não sobreviver ao descongelamento, mesmo que as taxas de sobrevida sejam ótimas: de 90 a 95%. O número de óvulos a serem congelados pode variar de 6 a 10. Se eles sobrarem podem ser descartados ou doados para centros de reprodução assistida, com anonimato garantido. Não é permitida a doação entre familiares.

Banco de óvulos

o3

Somente pacientes que tiveram óvulos excedentes durante o processo de fertilização, que já engravidaram, que não ovulam adequadamente, que extraíram seus ovários, que tem menopausa precoce e que estão passando por processos de quimioterapia ou radioterapia podem se tornar doadoras.

O que vocês acharam sobre o assunto, meninas? Doariam os seus óvulos para outra pessoa? Pensam em engravidar somente depois dos 35 anos? Deixem os seus comentários abaixo!

Recomendados para você: