a1

Enquanto algumas mulheres preferem investir em uma carreira profissional sólida, ou nos estudos, deixando o casamento e os filhos para uma fase mais tardia da vida, existem mulheres que resolvem casar muito cedo ou preferem dedicar a sua vida ao lar e ao marido. Há também mulheres que podem estar passando  por dificuldades em organizar o trabalho com o matrimônio, ficando desanimadas e tristes com a sua vida pessoal.

Seja qual for o caso, casar e descobrir que você não é feliz, com certeza não é o melhor dos sentimentos, além de causar diversas dúvidas e frustrações. Se você estava  confiante quando disse o tão esperado "sim", além de ter um parceiro que admira e confia, provavelmente seus problemas podem ser resolvidos com bastante diálogo e paciência.

Em outros casos, se você percebeu que ainda não está preparada para ter uma responsabilidade tão grande e se casou por impulsividade ou apenas para sair de casa para não depender mais de ninguém, é necessário reavaliar o seu relacionamento.

Casamento Precoce – Divórcio ou diálogo?

 Para que você possa responder as questões acima com cuidado e de maneira honesta, é preciso analisar com pouco mais de cuidado a sua relação amorosa. Existem pares que viram amigos, depois namorados, noivos e, finalmente, marido e mulher.

coracao

De forma madura e independente da idade, conseguem viver suas vidas independente um do outro, gerenciando de maneira correta o próprio trabalho, amigos e família, sem estabelecer uma relação de co-dependência com o parceiro.

O lado bom disso tudo é que ambos podem construir uma vida juntos, sem jogar a responsabilidade em cima do outro caso algo dê errado. Esse pode não ser o seu problema, mas é sempre bom deixar claro que a única pessoa que pode te deixar feliz é você mesma!

Existem garotas que vivenciam uma situação conhecida como "Complexo de Cinderela". Elas acreditam que terão uma vida e um casamento super  românticos e sem problemas. Quando se deparam com a realidade, percebem que as coisas não são como pensavam. E aí bate o arrependimento. Além disso, também podem perceber que o marido não tinham nada em comum com elas.

Pense bem antes de tomar uma atitude impulsiva!

Para saber se o divórcio é a melhor opção, caso existam diferenças irredutíveis entre o casal, ou se uma boa dose de paciência e de maturidade  já é o suficiente para continuar com o matrimônio, a terapia de casal, com o auxílio de um bom psicólogo pode ajudar.

a4

O importante é lembrar que conflitos e diferenças sempre existirão em um casamento, e cabe a nós mesmos lidarmos com os problemas para que o relacionamento evolua e seja harmonioso e satisfatório.

Gostaram das dicas, meninas? Nos contem as suas experiências caso tenham vivido algo parecido!