Morar-Junto-com-o-namorado

Estar com alguém requer muito mais do que amor e hobbies em comum. Morar com essa pessoa é uma decisão ainda mais delicada, que precisa ser tomada com seriedade, paciência e muita calma. Compreensão mútua, tolerância, admiração, respeito e aprender a lidar com o outro, tendo a consciência que terá que ceder em algumas situações ao longo da vida à dois, se a ideia for mesmo dividir o mesmo espaço. Porém, existem atitudes que podem ser evitadas em prol de uma relação mais saudável e madura, ajudando na grande mudança. Se o objetivo é realmente morar junto com o parceiro e viver em paz, confira uma lista que preparamos com dicas do que você deve evitar!

Querer que ele(a) mude

O erro mais clássico que notamos em um parceria é uma tentando mudar hábitos, ideias, visões e posturas no outro. Isso é uma armadilha excelente para brigas e desentendimentos, desgastando ainda mais a relação. Querer que o seu namorado ou marido seja diferente é pedir que ele faça o mesmo com você. E, no entanto, você gostaria de ser outra pessoa? De não parecer autêntica ou estar confortável perto de alguém, vigiando e controlando o tempo todo os seus hábitos matutinos ou comparando como ele costumava viver quando morava com os pais?

rela2

Se você sente tanta necessidade de mudar o seu amado(a) é porque no fundo, no fundo, não gosta dele ou deseja mudar coisas dentro de si mesma que não te atraem. A partir daí é preciso refletir se vale a pena mesmo estar com uma pessoa tão diferente de você ou se você que precisa rever conceitos sobre os seus comportamentos e ideais.

Fugir e ignorar brigas

Engolir sapos e fingir não ver sinais de distanciamento e de descontentamento é pedir para que o relacionamento vá para o espaço! Todos os casais têm discussões e desavenças, isso é normal e natural. O que não pode acontecer é se enganar e dizer que tudo está bem.

rela5

Isso só irá contribuir para que a relação esfrie e acabe com mágoas e ressentimentos. Se algo a incomodou ou vice-versa, sentem e conversem para que isto não se repita. Os desentendimentos servem para nos ensinar a lidar e a respeitar os limites e as diferenças de quem gostamos, fazendo com que a relação evolua e se torne mais madura.

Desconfiança e ciúmes em excesso

Se você não confia no seu parceiro irá desenvolver um ciúmes e um estado de vigilância crônicos quando estiver com ele o tempo todo. Se rolou uma traição e vocês voltaram, mas ainda não há conforto e segurança é preciso mais conversa e mais paciência. Agora, se ele(a) não estiver dando motivos para você se preocupar, relaxe e deixe a neura de lado!

rela7

Definir expectativas irreais

Muitos apostam em relacionamentos duradouros e felizes como se tudo fosse dar certo sempre! Ele nunca deixará a toalha molhada no chão, sempre irá fechar a tampa do vaso e lavará a louça pelo menos alguns dias por semana, certo? Quando isso não acontece parece que o mundo vai acabar!

rela8

Neste caso, identifique as suas expectativas e peça para a pessoa que está ao seu lado fazer o mesmo. Só assim vocês poderão definir o que realmente querem naquele momento, tornado a relação e o parceiro concretos e reais e evitando frustrações, desilusões e pré-conceitos de “perfeição” criadas pela mente.

Visão do futuro

Para que o relacionamento tenha futuro é necessário que ambos optem pelo mesmo estilo de vida. Um dos maiores motivos das separações têm relação com visões distintas sobre carreira e filhos. Desde o começo de um envolvimento sério, tente procurar alguém que tenha os mesmos objetivos que você.

rela10

Fazer joguinhos

A não ser que você seja bastante imatura e só deseje provocar um cara por insegurança, medo ou autossabotagem, evite os joguinhos de manipulação e de ciúmes, testando os limites e a paciência dele. Isso é um pedido de término e um atestado provando que você não está preparada para compromissos sérios, muito menos para morarem juntos.

rela11

Não banque a mãe ou o pai dele(a)

Ele não sabe onde está a chave do carro ou você esqueceu de ir buscar o vestido para a festa de amanhã na lavanderia? Problema dele ou seu e de mais ninguém! Evite ao máximo desenvolver comportamentos maternais e não deixe também que ele vire o seu pai. Cuidado e carinho são uma delícia, mas sem exageros ou lições de moral. Isso evitará cobranças desnecessárias e distorções na relação.

rela12

Descontar os problemas no outro

Teve um dia ruim no trabalho ou brigou com o seu melhor amigo? Isso é péssimo, mas o seu namorado não pode pagar o pato pelo que aconteceu. Peça desculpas pelo mau humor e entenda se ele fizer o mesmo. Uma vez ou outra pode ser lidado, mas se isso se repetir sempre, conversem. Diga que precisa de um tempo sozinha para refrescar a cabeça e entenda se ele pedir o mesmo. Em alguns casos, tomar um banho ou se distrair com um livro ajuda a resolver o problema e impedir brigas!

rela13

Gostaram das dicas, meninas?  Tem alguém aí pensando em morar junto com o namorado? Quais os seus medos e inseguranças? Comentem!