Quando pensei em escrever esse post sobre Finasterida, perguntei um pouco para alguns amigos calvos sobre como tinha sido o processo de perder os cabelos e como eles se sentiam. perguntei também se eles experimentariam ou se já tinham experimentado tratamentos específicos para calvície e quanto investiriam em algo que soubessem que já tinha dado certo para outras pessoas. Alguns foram incisivos na resposta ” Não me incomoda nem um pouco ser careca “. E eu acredito porque gosto de carecas, acho estiloso e Vin Diesel tá aí que não me deixa mentir.

Queda de cabelo

Entre muitos : ” Eu me garanto de outras formas  “, ” Acho que combina comigo ” , ” tenho outras coisas para me preocupar ” , surge também o : ” Faria qualquer coisa para ter cabelos novamente! ” , e esse é o tipo de testemunho que nos interessa hoje. Quando aparece uma solução mágica para um problema que temos precisamos pesquisar e saber como ele age e pra quem já funcionou. Um problema mesmo sendo grande pode se tornar algo muito maior  e é por isso, pensando em quem quer usar o medicamento finasterida para o tratamento da calvície, que vamos descobrir tudo sobre seu uso hoje aqui nesse post.

Porque a calvície ocorre?

Em algumas partes do corpo (como a próstata, testículos, glândulas supra-renais e folículos capilares), uma enzima chamada 5α-redutase (lê-se “cinco alfa redutase”) transforma a testosterona numa versão bem mais forte: o hormônio di-hidrotestosterona (DHT).

Ele participa de várias funções relacionadas ao desenvolvimento sexual, como a formação da genitália masculina durante a gestação, o desenvolvimento das características sexuais primárias e secundárias na puberdade e a atividade da próstata no homem adulto. As mulheres também produzem DHT, porém em quantidades muito menores que os homens.

Finasterida

O problema é que, no couro cabeludo, o DHT parece promover a chamada miniaturização folicular: os folículos capilares vão diminuindo de tamanho, a fase de crescimento do cabelo (anágena) fica cada vez mais curta, as fases de descanso (catágena e telógena) se prolongam e os fios vão se tornando mais finos e ralos, podendo até parar de nascer por completo, uma dica muito boa é usar óleo de rícino para o fortalecimento dos cabelos, clique e confira.

Esse processo gera o padrão comum de calvície masculina: surgem “entradas” nas laterais da linha frontal de crescimento dos cabelos, junto com o progressivo raleamento dos fios no topo da cabeça. Com o avanço do quadro, as duas áreas de regressão dos fios se encontram, deixando sobrar apenas uma faixa de cabelo na parte de trás e nas laterais da cabeça, onde os fios não costumam ser muito sensíveis ao DHT.

Causas da calvície

Algumas ocorrências são pistas importantes para suspeitarmos de um quadro de alopecia androgenética:

  • Histórico familiar de calvície (pais, tios ou avós, tanto do lado materno quanto paterno);
  • Perda lenta e gradual dos cabelos, seguindo os padrões tradicionais de avanço da alopecia androgenética (escalas de Norwood-Hamilton, Ludwig e Savin);
  • Ausência de outros problemas de saúde como anemia, hipotireoidismo, deficiências nutricionais, desequilíbrios hormonais, infecções, etc.
  • Mulheres com síndrome do ovário policístico têm maior predisposição a desenvolver alopecia androgenética

Finasterida

Quanto mais informações você levar para o seu médico, melhor (inclusive fotos mostrando a diferença dos cabelos ao longo do tempo, se você tiver). Ele deve examinar o seu couro cabeludo, fazer testes e descartar a suspeita de outros tipos de calvície (como a alopecia areata, eflúvio telógeno ou alopecia cicatricial).

Finasterida

Devo usar a Finasterida?

A calvície é um problema que atinge mais de 70% dos homens que traz muitas vezes um desconforto estético, já que ocorre a queda de cabelo e o aumento progressivo de áreas sem crescimento dos fios ao redor da cabeça. A Finasterida é atualmente o medicamento mais procurado do mercado para tratar este problema. Mas, como sempre vamos dar uma pincelada em alguns pontos antes de falarmos do produto em si, primeiro por curiosidade e segundo porque as vezes a gente fica tão fixado na solução do problema que esquece que se não tratarmos as causas tudo vai acontecer de novo, aí, já viu, desperdício de tempo e dinheiro.

Finasterida

O que é a Finasterida?

A Finasterida é um medicamento antiandrógeno que inibe uma enzima chamada de 5-alfarredutase que converte a testosterona em di-hidrotestosterona. Esta, por sua vez, é um metabólito biologicamente ativo do hormônio testosterona, formado principalmente na próstata, nos testículos, nos folículos capilares e nas glândulas adrenais.

A di-hidrotestosterona é cerca de três vezes mais potente do que a testosterona, devido à sua afinidade pelo receptor de andrógenos e também é uma das grandes responsáveis pela calvície nos homens.

Finasterida

Assim, a Finasterida é utilizada em doses mais baixas para o tratamento da calvície de padrão masculino, também chamada de alopecia androgenética, já que inibe a formação desta substância.

Quando este medicamento é utilizado em doses mais altas pode ser indicado para o tratamento da hiperplasia prostática benigna, que é caracterizada pelo aumento benigno da próstata e pelo estreitamento da uretra causando dificuldades em urinar, e também é indicado para o tratamento do câncer de próstata.

Finasterida

Como usar e quais os efeitos da Finasterida?

A indicação do uso da Finasterida é de 1 comprimido (de 1 mg) por dia, com ou sem alimentos, conforme a recomendação e orientação médica. Em estudos clínicos, superdoses de 400 mg por dia durante três meses não causaram efeitos adversos, no entanto, nunca mude a dosagem indicada sem acompanhamento.

Algumas reações adversas foram identificadas em grupos controlados com o uso da Finasterida, tais como a diminuição da libido, a disfunção erétil e a diminuição do volume do ejaculado.   No caso de aparecimento de alguns destes ou de quaisquer outros sintomas com o uso da Finasterida, interrompa o uso do medicamento e procure imediatamente a orientação médica.

Finasterida

A Finasterida tem excelentes resultados no tratamento da calvície masculina, porém os efeitos colaterais do medicamento causam muitos transtornos para os pacientes que relatam problemas com a vida sexual. Apesar de existirem relatos de efeitos adversos, este medicamento é considerado seguro por uso contínuo de três meses.

Mulheres podem usar a Finasterida?

Finasterida

Este medicamento é contraindicado para mulheres, independente de condição de gravidez. Mulheres grávidas ou que possam engravidar não devem manusear comprimidos esfarelados ou quebrados de Finasterida, devido à possibilidade de absorção e de risco potencial para o feto.

Vale ressaltar que todo uso de medicamento deve ser prescrito pelo profissional da área médica apropriado. Não faça uso de remédios sem a orientação do médico.

 

Recomendados para você: