Tem dúvidas sobre o que precisa para viajar com o bebê? Viagem de avião, de carro, hotel, etc, etc? Este post vai esclarecer todas as suas dúvidas. Confere aí!

Viajar com crianças e bebês parece mais complicado do que realmente é. Se planeje para minimizar o estresse e criar uma pequena rotina na viagem. Isso é bem importante para evitar manhas e mau humor dos pequenos em um lugar “desconhecido”. As vezes as pessoas torcem  nariz para pessoas que viajam com seus bebês mas esquecemos que essa é a realidade de muitas mães, não apenas viagens de férias, mas viagens por necessidade e algumas até mesmo de emergência. Para que dê tudo bem certinho na sua viagem preparamos um manual completíssimo. Primeiro começamos com a documentação para viagens de avião e ônibus. Dicas de escolha de hotéis e apartamentos, melhores vôos e claro, tudo que tem que levar para sua viagem ser um sucesso.

Viajar com o bebê de avião

Não há idade mínima para a criança viajar. Os pais só precisam avaliar a necessidade dessa viagem e tomar todos os cuidados. É melhor evitar viagens com recém-nascidos, que são mais vulneráveis a infecções e outros problemas de saúde. As companhias aéreas, aliás, só transportam bebês com mais de 7 dias de vida (a Avianca, só a partir do 10º dia). No geral, pediatras recomendam esperar até que a criança complete 3 meses, período suficiente para tomar as principais vacinas do calendário, como a BCG (contra tuberculose) e a meningocócica C conjugada (contra meningite e outras infecções). Sempre consulte o pediatra para checar se a criança está em boas condições para viajar.


Tudo o que precisa para viajar com o bebê de avião

  • VOOS NACIONAIS Para viagens nacionais, é preciso apresentar documento de identidade (RG) ou certidão de nascimento original.
  • VOOS INTERNACIONAIS Para toda a América do Sul (exceto Suriname e Guianas), o RG original em bom estado e com foto recente também é válido. Para todos os outros países, o passaporte é imprescindível, além do visto (quando exigido). Desde novembro de 2014, os novos passaportes trazem na página de identificação a filiação do portador – para crianças com o documento antigo, é obrigatório levar também a certidão de nascimento ou a carteira de identidade delas, que comprovam o parentesco.
  • SEM UM DOS PAIS Também desde novembro, os pais podem incluir uma autorização de viagem no próprio passaporte para que o menor de 18 anos viaje apenas com um dos genitores. Sem esse documento, é necessário registrar uma permissão no cartório a cada viagem ao exterior. Faça em três vias: uma para o aeroporto de origem, outra para o de destino e a última para acompanhar a criança. Em viagens nacionais, crianças de 0 a 12 anos com um dos pais ou um parente de até terceiro grau não precisam de autorização de viagem, só comprovação de parentesco.

Documentação para viajar com o bebê de ônibus

Vamos começar pelo básico: os documentos pessoais. No caso de bebês ainda com meses de idade e sem carteira de identidade, é necessário apresentar a certidão de nascimento original ou uma cópia autenticada, junto com os documentos pessoais dos pais. No caso da criança estar viajando com parentes ou amigos, porém sem a presença dos pais, além de seus documentos, os responsáveis devem obrigatoriamente apresentar uma autorização dos pais para realizar a viagem. Este documento pode ser feito em postos de atendimento do Juizado de Menores, presentes nos próprios terminais rodoviários.

Nenhuma viação autoriza o embarque com crianças sem os documentos, o que traz segurança para responsáveis e os menores, pois se houver uma fiscalização da Polícia Rodoviária no meio do caminho, não encontrarão problemas em comprovar o parentesco com a criança.

Amamentação durante a viagem

Caso esteja viajando com seu filho de até 06 meses, não se acanhe de amamentá-lo dentro do avião, sempre que necessário. Mas se sentir incomodada com a situação, é possível recorrer a duas soluções: leve uma manta ou um cobertor para se cobrir durante a amamentação, ou leve uma mamadeira com leite materno, lembrando de levar apenas a quantidade necessária para o tempo de duração de voo.

Para crianças com mais de 06 meses (e se for de sua vontade) em vez de carregar mamadeira pronta, leve leite pó e água necessária para o preparo. No caso de voos curtos, alimente a criança antes do embarque e não será preciso se preocupar com isso durante a viagem.

Escolhendo o melhor vôo para viajar com o bebê

Tente planejar seus voos em torno da hora de dormir do seu filho. Voos noturnos podem ser mais caros, mas se você procura mais conforto e tranquilidade, uma criança que dorme durante o voo é uma bênção para todos. Se precisar fazer uma conexão, deixe bastante tempo entre os voos – ninguém merece sair correndo com crianças e bolsas por um aeroporto desconhecido.

A grande dica é tornar a viagem em si parte das férias. Permita-se algumas horas, estique as pernas, vá ao banheiro com calma, coma, converse, brinque com elas e prepare-se para o próximo voo. E não esqueça: a melhor maneira de achar as passagens aéreas baratas é reservar com 53 dias de antecedência.


Como escolher o hotel para viajar com o bebê

Viajar com bebês não deve ser uma aventura com muitos imprevistos e tudo deve ser planejado ao máximo. Por isso, pesquise bastante e reserve o hotel com antecedência.

* Verifique a possibilidade de fazer um early check in ou late check out (entrada no quarto antes do horário e saída depois do horário), caso seja necessário.

* Pesquise o máximo possível sobre o hotel e se informe sobre a estrutura, de um modo geral. No caso de construções mais antigas ou menores, veja se o hotel conta com elevador além de portas e passagens largas para carrinhos.

* Alguns hoteis oferecem programações especiais para crianças, como brinquedoteca, atividades monitoradas, além de bercinhos e babás terceirizadas.

* Consulte o concierge para saber sobre passeios legais e novidades que estão acontecendo na cidade, como uma exposição que acaba de abrir ou uma dica de lugar para ir com crianças.

* Também é importante considerar a rotina de cochilos do bebê na hora de escolher o hotel, pois talvez seja preciso voltar no meio do dia para uma soneca, além de outros pit stops. Para isso, uma boa localização é fundamental.

Hotel X Airbnb

Hotéis têm seus benefícios (serviço de quarto, refeições, serviços de baby-sitter etc.), mas com os aluguéis de temporada pelo site Airbnb, você pode ter a sua própria casa nas férias – e preparar suas próprias refeições, o que pode ser útil se seu filho possuir uma dieta especial. É uma escolha pessoal, mas que vale a pena pensar com calma.

É claro que durante a viagem você não vai ficar cozinhando todo dia, mas ter um micro-ondas, chaleira ou panela disponíveis pode ajudar e muito, assim como uma pia para lavar as coisas do baby! (mas se não tiver, lava no banheiro, fazer o que…). Não esqueça de levar bucha, detergente e um pano de prato! O preço de um apê escolhido pelo Airbnb costuma ser praticamente o mesmo ou até mais barato do que um hotel, e além disso tem mais espaço e áreas separadas, permitindo continuar conversando e aproveitando a estadia enquanto o bebê dorme. Afinal, com filho pequeno a tendência é voltar mais cedo para dentro, e por isso um quarto “peça única” ou pequeno demais pode ser mais complicado neste sentido.


Mala para viagens de final de semana com bebê de até um ano

Quantidades para 1 final de semana completo: O ideal é separar as coisas em duas malas (ou uma mala e uma bolsa grande): uma para as roupas e itens de higiene e outra para os utensílios de cozinha.

Necessaire (itens de higiene)

– Fraldas descartáveis – a quantidade depende de bebê para bebê, mas é recomendável levar em média 8 fraldas descartáveis/dia para os recém-nascidos e 5 fraldas/dia para os bebês acima de 6 meses.

– Pomada antiassadura – 1 bisnaga grande fechada.

– Algodão – 1 saco grande.

– Lenço umedecido – 1 pacote (ou pote) novo.

– Shampoo – 1 frasco pequeno.

– Sabonete líquido – 1 frasco pequeno.

– Hidratante – 1 frasco pequeno.

– Cotonete – 4 hastes flexíveis/dia.

– Escova de dentes – caso seu bebê já a utilize.

– Pasta de dente sem flúor – caso seu bebê já escove os dentinhos.

– Escova de cabelos ou pente

– Colônia – caso seu pediatra já permita usar.

– Filtro solar – pergunte ao seu pediatra a  melhor indicação e o fator de proteção.


Para alimentação

– Mamadeiras – 2 grandes para o leite, 3 pequenas (2 para o suco e 1 para água).

– Esterilizador – Você pode levar um de microondas, se tiver acesso a um aparelho desses durante a viagem. Caso contrário, apenas escalde as mamadeiras com água fervendo por 15 minutos.

– Chupetas – 6 unidades é uma boa quantidade, porque elas vivem se perdendo e caindo no chão.

– Colher e copinho preferido – para dar um remédio, ou comida, ou uma fruta. O copo também pode facilitar na hora de dar sucos ou água (se seu filho já tiver nessa fase).

– Papinhas/comidas/frutas – veja se precisa levar estes alimentos para o local aonde vai viajar e tente respeitar a mesma dieta do seu bebê.

– Água mineral – 3 garrafas de 1 litro é o suficiente para os bebês que tomam fórmula + águinha durante o dia + suquinho.

– Leite em pó (fórmula) – a quantidade muda de bebê para bebê.

– Porta-fórmula


Cama e banho

– Jogo de toalha (banho + toalha-fralda) – 2  peças (para caso suje uma delas).

– Jogo de lençol – 2 peças.

– Manta ou cobertor – 1 peça é suficiente.

– Travesseiro – 1 unidade com fronha.

– Fraldas de boca – 2 unidades por dia.

– Fraldas de ombro – 2 unidades por dia.

– Saco de roupa suja

– Babadores – 2 unidades (dê preferência aos de plástico, que podem ser limpos com um pano úmido).

 

 

Itens grandes

– Carrinho

Eis um dilema comum de como viajar com crianças, e não há uma resposta simples. O tipo de carrinho adequado vai depender de para onde você está indo. As ruas serão planas e pavimentadas, ou haverá buracos e desvios pelo caminho? O clima será muito úmido ou mediano e agradável? Com qual tipo seu bebê está mais acostumado?

Uma opção neutra e sempre segura são os carrinhos mais leves – fáceis de carregar na viagem e que podem ser levados até o portão de embarque. Também podem ser usados como uma cama provisória para um cochilo da tarde. Você pode facilmente incluir cobertores ou uma capa para a chuva e andam bem em qualquer tipo de terreno.

– Berço portátil

– Banheira portátil

– Canguru

– Brinquedos preferidos

– Babá eletrônica


Para piscina (caso for para algum lugar de calor)

– Fraldas para piscina

– 1 boia

– 1 chapéu/boné

– 1 toalha ou roupão de piscina

– 1 maiô ou sunga


Roupas

Monte  sempre os conjuntinhos e leve tudo pronto para cada dia, pensando em roupas que possam ser usadas tanto para o calor quanto para o frio.

– 6 bodies – dependendo da previsão do tempo, manga comprida ou curta.

– 6 calças pagão

– 6 camisetas

– 4 calças

– 4 shorts ou 4 vestidinhos

– 4 casaquinhos leve

– 4 macacões de manga longa

– 2 pijamas

– 4 pares de meia

– 2 pares de sapato – que sejam coringas e combinem com as roupas.

– 1 casaco quente


Farmacinha

É muito importante levar remédios básicos para seu filho em viagens. O ideal é pedir uma lista para o pediatra e ter os medicamentos sempre em casa. Você pode perguntar ao médico sobre os medicamentos abaixo:

– Termômetro

– Analgésico/antitérmico

– Pomada antialérgica para picadas de insetos

– Antialérgico (via oral)

– Medicamento contra enjoo

– Gaze

– Soro fisiológico

– Solução nasal – ex: Rinosoro.

– Repelente – apropriado para idade do seu bebê.

– Seringa com medição

– Inalador


Ter sempre em mãos

– Cópia da certidão de nascimento do bebê

– Carteirinha do plano de saúde

– Telefone do pediatra

Será que faltou alguma coisa? Sempre falta e o improviso faz parte das melhores histórias de viagens, não acha?

Recomendados para você: