Confira no post de hoje, dicas incríveis de como educar os filhos.

Não importa se você é mãe de primeira viagem ou do oitavo filho a dúvida sobre se estamos realmente fazendo a coisa certa realmente bate. E aí, como educar filhos para que sejam pessoas felizes? O mundo mudou e muda cada vez mais rapidamente mas os valores mudaram tanto assim? O valia para mim quando pequena ainda vale para os meus filhos? Se você se pergunta sobre essas coisas e veio aqui em busca de ajuda saiba que selecionei dicas de experts e de mães experientes para te dar uma orientação, uma luz. A  palavra final é sempre sua, afinal mãe é mãe!

Educar os filhos não é e nunca foi fácil

Educar uma criança não é uma tarefa fácil e exige muita calma e jogo de cintura. Na maioria das vezes o pai e a mãe trabalham e quando a mulher chega em casa precisa cuidar do lar e dar atenção para os filhos. Como fazer para evitar birras e manhas e conseguir educar bem as crianças? O grande problema é que em alguns casos os pais perdem a paciência e acabam apelando para a palmada, que não é indicada, pois além de provocar tristeza na criança, não terá nenhum efeito educativo.


Dicas para educar os filhos

Para começo de conversa: Quem manda na sua casa? Os pais. E você precisa assumir a autoridade da educação dos seus filhos. Deve saber o que é melhor para ele e impor isso. Não permita que os pequenos a dominem. As crianças podem gritar, chorar, espernear, atirar objetos. Mas você não deve se assustar diante dessas atitudes e recuar. Se tomou uma decisão, continue firme nela. A cada passo que você recua, seu filho ganha um ponto na autoridade. Se não fizer isto, quando perceber, vai ser seu filho quem mandará na casa.

Como educar os filhos

A tentação para ceder à birra é grande e é  verdade que há momentos em que ela, a criança, irá espernear demais. Mas ceder a isso é deixar que o filho fique no comando, ou seja, ele irá achar que pode conseguir tudo o que quer, na hora que quiser – basta chorar. As crianças desafiam e buscam o limite o tempo todo, é da natureza delas. Mas sem esse limite pode haver insegurança pois não fica claro o que é certo ou errado diante de situações da vida. O melhor a fazer é dizer para ela que a birra não vai adiantar, sempre com muito diálogo. Uma hora ela irá perceber que a choradeira não trará resultado e irá parar.

A criança aprende com exemplos de quem ela confia que são os pais. Se os pais não têm boas maneiras, não pedem, por favor, não dizem obrigado ou bom dia, comem assistindo televisão ou brigam muito passam esses valores para a criança e é isso que irá fazer. Os filhos são o espelho dos pais.

Pais são responsáveis pela educação dos filhos! Não é a escola ou a babá ou a igreja que vai cuidar da formação dos seus filhos. Hoje, os pais, por trabalharem fora, acham que podem terceirizar essa obrigação. Mas estão errados! Ninguém, além de vocês, têm a obrigação e o poder de formar o caráter dos seus filhos. Se eles andaram aprontando, não adianta mudar de escola. Vocês é que têm de ensinar a eles o que é certo e errado.


Como criar crianças felizes

As regras são mais fáceis de serem seguidas se forem compreendidas. Simplesmente dizer “não pode”, “você não vai”, pode deixar a criança brava por não entender o motivo. É claro que existem explicações complexas demais para o pequeno entender, como dizer o que é um choque ao colocar o dedo na tomada, mas há outras abordagens mais eficientes. Nessas horas, vale investir no afeto e explicar com paciência: ‘Não pode colocar o dedo na tomada, você pode se machucar; papai te ama e quer que você fique bem! Venha cá que quero te dar um abraço. A demonstração de carinho ajuda a mostrar que você impõe regras porque quer o bem do filho.

Educar os filhos com disciplina

Crie uma rotina para os filhos. Defina os horários das atividades das crianças. Assim, elas terão tempo para fazer tudo. Determine a hora de dormir, de brincar, ver TV e estudar. Não é para ser maníaco com horários, mas apenas organizar o dia para que seus filhos não deixem de fazer aquilo que você considera importante para a formação deles.

Educando o seu filho sem errar

Outro erro comum é negar a dor da criança. Quando a criança rala o joelho numa brincadeira a mamãe com toda boa intenção do mundo tenta amenizar a dor dizendo: “Não foi nada, já passou”. Fazendo assim, a criança acha que os pais não se sensibilizam a sua dor e tendem a procurar uma outra pessoa, deixando uma mágoa. Ou então, se for excessiva essa atitude dos pais a criança fica insegura aos seus sentimentos não entendendo se sente dor, raiva ou medo já que seus pais dizem que não é nada.

Deixar o filho ganhar constantemente um jogo só para não vê-lo frustrado com a perda já que não tem a mesma capacidade que a sua faz com que a criança aprenda que a vida é só ganhar. O jogo faz com que a criança espere a sua vez, aceite regras e limites impostas, aprenda a negociar e aceite que a vida é feita de ganhos e perdas.


Como educar melhor os filhos

Outro velho excesso praticado pelos pais: fazer tudo pela criança, mesmo tarefas que já pode realizar sozinha, superprotegendo o filho, é prejudicial ao desenvolvimento social. Normalmente essas crianças crescem se achando o centro do mundo, mandando e desmandando em tudo e exigindo até o que deve ser feito no jantar. Não conseguem se adaptar na escola, sentem-se inseguros e tornam-se inseguros e irresponsáveis justamente porque nesse lugar ele será apenas mais um, e não o dono do pedaço.

Estimular a independência da criança. Ela deve poder decidir e ter que assumir as consequências naturais de suas decisões. Se ela, por exemplo, não quiser almoçar, respeitar sua decisão e não forçá-la a comer, mas depois deixar que passe fome até a próxima refeição.

Você também poderá se interessar por:


Boas dicas para educar os filhos

Imagine a situação: a criança quer tomar sorvete antes do almoço. Para a mãe, de jeito nenhum, mas para o pai fala: “Por que não? Só hoje”. Isso pode fazer uma confusão na cabeça do pequeno. Ele entenderá que o limite imposto por um dos pais não é verdadeiro e essa ideia pode dificultar que a criança obedeça e cumpra regras. Claro que é normal que o casal não concorde em tudo, mas o ideal é que  que haja uma conversa longe da criança para definir, em comum acordo, as regras da casa. Combinado?

Estabelecer consequências para as más ações das crianças. Estas devem ser constantes, aplicadas por pai e mãe, imediatas, razoáveis, e relacionadas com o que queremos corrigir. (Se a criança sujou a sala, a consequência é ter que limpá-la, se pintou as paredes com canetinhas, ficará privada de usá-las durante dois dias, por exemplo).

Eduque os seus filhos com muito diálogo

Escute o que os filhos tem a dizer porque eles são de uma nova geração e muita coisa mudou. Por isso é bom escutar o que eles têm a dizer. Ouça os argumentos das crianças e tente ser flexível, entender o lado delas. Isso ajuda a criar o diálogo e a construir uma relação de confiança entre pais e filhos. Mas saiba sempre que a posição final é sua e se discorda do ponto de vista dos filhos, pode e deve impor sua palavra.

Recomendados para você: