Quando a febre no bebê dá os primeiros sinais  as mamães costumam surtar em desespero e a pergunta é sempre a mesma: O que está acontecendo com o meu filho? A febre sempre preocupa pois é sinal de que o organismo está avisando que algo não está bem. Mas o que podemos considerar febre? A temperatura alta é a mesma do que nos adultos? O que é o estado febril e o que podemos fazer para que a febre diminua?

febre no bebê

Febre no bebê

febre no bebê

Porque os bebês têm febre?

A febre do bebê é um sinal comum que aparece nos pequenos mas nem sempre é uma coisa ruim. Na verdade a febre normalmente é uma resposta normal do sistema imunológico da criança contra algum vírus ou infecção bacteriana. A maioria das crianças quando saudáveis podem tolerar bem a febre, e dura cerca de 3 a 5 dias sob condições normais.

febre no bebê

A febre é causada pela própria reação do organismo – o mecanismo de defesa – contra os corpos estranhos ( vírus, bactérias ou fungos) que causam anomalias. Os sinais enviados ao cérebro pelos anticorpos acabam por fazer o corpo elevar a temperatura, na intenção de se defender. Em alguns casos, o aparecimento de dentes também pode causar um ligeiro aumento na temperatura do corpo. Em bebês mais jovens, uma febre pode até mesmo ser um sinal de uma infecção grave.

Cuidados com a febre no bebê

Segundo o Dicionário de Medicina Natural (Ed. Reader’s Digest) especialistas em terapias naturais encaram a febre como uma ‘crise curativa’, ou seja, nada mais do que uma reação de defesa do organismo para queimar as toxinas causadoras de doenças.

febre no bebê

Então, os pais não devem se apavorar caso o bebê esteja com febre. A elevação da temperatura faz parte do processo natural de combate à infecção, e a febre por si só nem sempre é prejudicial à criança, embora seja primordial investigar a causa.

Quando percebemos que o bebê está com febre alta, o mais aconselhável é levar até o médico para obter um tratamento adequado ou obter cuidados médicos de emergência

O que é estado febril?

A temperatura do organismo muda de um indivíduo para o outro, porém, a média é entre 35 e 36 graus. Temperaturas entre 37°C e 37,5°C já é considerado estado febril.

Estado febril não é sinônimo de problemas. Mais importante do que a temperatura neste momento, é observar o bebê. Se o apetite estiver normal e não houver choros ou irritações, não há porque se preocupar.

Se o estado febril vier acompanhado de mostras de desconforto ou temperaturas mais altas aparecerem, é importante redobrar a atenção. Crianças com mais de um ano devem ficar em estado de observação, já os bebês devem ser consultados, mesmo que seja por telefone para evitar contato com bactérias e vírus desnecessariamente.

Até 38°C é possível desagasalhar, aguardar 40 minutos e medir a temperatura novamente. Mais de 39°C e origem desconhecida é caso de consulta médica.

Causas mais comuns de febre no bebê

De acordo com especialistas, as causas mais frequentes da febre em bebês são:

  •  Após dose de vacinas;
  • Resfriado forte;
  • Gripe;
  • Inflamação de garganta;
  • Infecção de ouvido;
  • Doenças respiratórias (bronquite, sinusite, asma, pneumonia);
  • Infecções virais e infecções urinárias.

Como aliviar a febre no bebê

Quando se trata de crianças com menos de cinco anos, um dos métodos naturais eficazes para baixar a febre é passar uma esponja embebida em água morna por algumas partes do corpo da criança, como pescoço, rosto e membros. Sempre enxugando imediatamente após realizar o procedimento.

Para evitar resfriado, o corpo do bebê deve estar sempre coberto. No caso de febre muito alta, pode-se colocar uma compressa de água fria na testa. Mas o mais importante é monitorar a temperatura da criança com termômetro durante pelo menos 48 horas, de uma em uma hora.

Convém ficar atento aos casos de febre em bebês com menos de 3 meses, quando a temperatura sobe além dos 37,5ºC, principalmente se a febre vier acompanhada de choro persistente e irritabilidade extrema.

Se a criança estiver apenas em estado febril ou sem alterações de comportamento, é válido tomar medidas que podem baixar a temperatura gradativamente.

Além dos remédios antitérmicos, a ingestão de líquidos é altamente recomendada – água, sucos, leite, frutas e sopas.

O banho também é uma alternativa, porém, ele deve ser confortável para a criança. A temperatura da água não deve estar baixa e tampouco deve haver álcool para baixar a febre. A temperatura precisa ser estimulada a baixar gradativamente para que o organismo tenha tempo de reagir da melhor forma possível.

Para ajudar a baixar a febre no bebê você pode…

DAR BANHO: “A temperatura da água tem que estar um pouco abaixo da temperatura que a criança está para ir roubando calor aos poucos. Mas nada de choque térmico – se a criança sentir frio, o próprio corpo vai tentar produzir mais calor, dando aquela sensação de calafrio”, explica Márcia.

FAZER COMPRESSAS: mesmo que sejam menos efetivas do que o banho, era um costume de antigamente fazer compressas frias nas articulações e na testa para baixar a febre. Se a criança ficar incomodada com as compressas ou começar a sentir frio, melhor não insistir.

REPOUSAR: Não precisa obrigar a criança a dormir, só descansar. Se ela fica agitada, o metabolismo aumenta e, consequentemente, a temperatura do corpo também.

BEBER BASTANTE LÍQUIDO: Quando a criança ou adulto está com febre, ela transpira mais. A evaporação do suor rouba a água do corpo e essa perda de líquido pode provocar desidratação. Por isso, é importante manter o seu filho hidratado – o que não significa dar um monte de água.  “Conforme a temperatura for baixando depois da medicação, tente oferecer aos poucos, para evitar também que ela vomite. Quando a temperatura está muito alta, ela não vai querer nada, por isso, melhor tentar hidratá-la bem entre os picos de febre”, recomenda Márcia.

COLOCAR ROUPAS LEVES: Quando a febre está subindo, sentimos mais frio. Quando ela estabiliza, vem a sensação de calor. Por isso, é importante prestar atenção às roupas, para que a criança fique confortável. Prefira tecidos leves, como algodão.

Dicas de saúde

Quando isso ocorrer, é preciso consultar o pediatra com urgência. Doenças graves como meningite ou pneumonia são curadas mais rapidamente quando diagnosticadas precocemente.

Termômetro

Há vários tipos de termômetros para medir a temperatura. O tradicional termômetro de vidro com enchimento de mercúrio está deixando de ser utilizado por uma questão ecológica. O mais comum hoje em dia é o termômetro digital, que tem funcionamento parecido, é utilizado embaixo do braço, porém tem uma exibição da temperatura diferente.

Há também os termômetros infravermelhos que medem a temperatura pelo ouvido e alguns modelos infravermelhos que permitem a medição da temperatura sem o contato, geralmente apontando para a lateral da testa. Todos eles atendem bem a necessidade, mas é imprescindível que eles tenham o selo do INMETRO, que atesta que o aparelho foi calibrado e que a temperatura que está marcando é verdadeira.

Como medir a febre no bebê

Os termômetros mais indicados são os de vidros com medidor de mercúrio, porém, como o mercúrio é um metal pesado e tóxico, há indicação de trocá-lo por um termômetro digital.

Para medir a temperatura, coloque o termômetro debaixo do braço e certifique-se de que a ponta está no meio. Aguarde quatro minutos sem muitos movimentos.

Veja outra dica importante sobre alimentação, como fazer papinha para bebê, são 12 receitas caseiras que seu filho vai adorar, confira agora!

Recomendados para você: