Procurando alguma sugestão de dieta para quem tem gastrite? Confira este post especial para quem sofre com este probleminha tão desagradável.

Dores ou sensação de queimação na região abdominal são os primeiros sinais da gastrite que é nosso assunto de hoje. A inflamação da mucosa do estômago é um problema que precisa ser acompanhado por um médico, para saber qual a causa e oferecer o tratamento adequado. Mas, em muitos casos, mudanças na alimentação são eficazes para diminuir a acidez e melhorar esse quadro. O post de hoje oferece muitas soluções para o problema através da alimentação. Está tudo aqui!

Sintomas da gastrite

Há dois tipos de gastrite que deverão ser diagnosticadas e confirmadas por um profissional de saúde caso haja suspeita de sua presença: as gastrites aguda e a crônica. Os dois tipos de gastrite apresentam sintomas muito similares, portanto sem uma análise aprofundada do paciente não é possível diagnosticar corretamente. Entre os sintomas mais comuns dos dois tipos de gastrite estão:

* Náuseas
* Vômitos
* Dor abdominal
* Sensação de queimação de estômago
* Indigestão
* Perda de apetite e outros

Quando a gastrite é causada por bactérias, é comum que o tratamento seja baseado em antibióticos. Já a gastrite causada por remédios anti-inflamatórios não-esteroides é comumente tratada eliminando os medicamentos causadores e adotando antiácidos.


Tipos de gastrite e suas complicações

A gastrite dificilmente apresentará complicações se verificada rapidamente e acompanhada adequadamente por um médico. Enquanto a gastrite aguda raramente apresentará complicações, a gastrite crônica por ser responsável por úlceras, anemia, câncer e etc. Tão logo, é importante que um profissional de saúde seja consultado assim que os sintomas forem percebidos ou se tornarem recorrentes, pois os dois tipos de gastrite possuem sintomas muito similares que não podem ser ignorados à primeira vista.

Em termos gerais, é sabido que é possível evitar ou diminuir a gastrite através da eliminação de hábitos prejudiciais como o tabagismo e a ingestão de álcool. Obviamente, um médico deverá ser consultado para que se possa aconselhar a respeito da melhor dieta, e do melhor tratamento, para caso em particular.


Dieta para gastrite

O tratamento para gastrite pode ser medicamentoso e/ou nutricional. É de extrema importância realizar o tratamento nutricional para esta patologia, que inclui mudanças na alimentação. A listinha a seguir é dos alimentos a serem eliminados da dieta de quem tem gastrite:

  • Doces enlatados;
  • Refeições pré-preparadas;
  • Alimentos com gordura, inclusive peixes gordurosos;
  • Carne de porco e embutidos, como salsichas, presunto ou mortadela;
  • Evitar condimentos, molhos em excesso e gordurosos, intensificadores de sabor e outros;
  • Refrigerantes industrializados e bebidas alcoólicas;
  • Biscoitos recheados, leite integral, bolos industrializados;
  • Lanches gordurosos, como massa folhada, kibe, empada, cachorro quente e hamburguer;
  • Evitar café, chocolate, chá preto, pois são relaxantes de esfíncter, acentuando assim o refluxo alimentar;
  • Tomate, pepino, couve manteiga, espinafre,agrião, laranja, abacaxi, kiwi.

Dicas para amenizar a dor da gastrite

  • Coma pequenas refeições: Exagerar na quantidade de comida pode piorar os sintomas da gastrite. Comer quantidades menores de alimento aumenta o fluxo sanguíneo para o estômago, o que aumenta a cicatrização .
  • Evite comer antes de dormir: Coma cerca de três horas antes de ir dormir para digerir completamente o alimento.

  • Beba bastante água: A água parece ajudar a controlar sintomas de gastrite e úlcera. Tome pelo menos 2 litros de água por dia, beba também quando os sintomas aparecerem. Ao contrário do leite, álcool e cafeína, a água não vai aumentar a produção de ácido do estômago ou causar queimação.
  • Reduzir o estresse: Stress diminui a função imunológica e contribui para a piora de outras questões digestivas.

  • Parar de fumar e diminuir a exposição à toxina: Fumar e viver um estilo de vida pouco saudável são fatores de risco para desenvolver dano estomacal e gastrite. Fumar retarda a cicatrização da mucosa gástrica, aumenta a taxa de recorrência de úlceras e também torna mais provável que você desenvolva infecções.

Como deve ser a dieta de quem tem gastrite

O indicado pelos médicos, que sejam feitas de quatro a cinco refeições por dia – com calma, em poucas quantidades. Outra dica, é comer bolachas de água e sal ou maisena (nada de bolachas recheadas, pois são muito gordurosas) e frutas nos intervalos das refeições, para evitar que o estômago fique vazio (já que, quando vazio, o suco gástrico corroerá suas paredes, agravando a ferida).


Suco de batata crua para quem tem gastrite

Suco da batata crua é um ótimo calmante é eficaz no combate ao H. Pylori, responsável por muitos casos de gastrite

Hortelã e alecrim são ótimos para gastrite

Os chás dessas ervas são poderosos aliados da boa digestão. Eles também são calmantes digestivos, já que diminuem a acidez do estômago. Com isso, eles atenuam azias, gases e cólicas. Para um efeito mais satisfatório, o ideal é que eles sejam tomados 30 minutos antes das refeições.

Pão integral e queijos sem gordura

Pão sem miolo, evitando sempre o pão de farinha branca, como o pão francês, também é aconselhado. Queijo branco, ricota, evitando os amarelos e gordurosos, as carnes devem ser sempre magras, sem gordura, assadas, grelhadas ou cozida

Prefira chás no lugar do café

A cafeína deve ser cortada da alimentação ou severamente reduzida. Você pode trocar o cafezinho por chás de melissa, erva-cidreira, erva-doce ou camomila, que além de terem ação calmante e reduzirem o estresse (um dos fatores que causa a gastrite nervosa), ajudam a aliviar os sintomas e dores estomacais.

Frutas não ácidas

Laranja lima, banana, maçã, pera, goiaba e mamão estão na lista de frutas liberadas, já que não agridem o estômago. Os seus sucos também podem ser ingeridos sem medo. A quantidade indicada é de quatro a cinco porções por dia no café da manhã, no meio da manhã, como sobremesa do almoço, entre almoço e jantar e outra no jantar, sendo cada porção uma fruta ou uma fatia.


Suco de Aloe Vera

O suco de aloe vera, erva também conhecida como babosa, tem poder cicatrizante. Ou seja, além de não ser prejudicial, ainda contribui na cura da ferida estomacal. O suco já é vendido pronto e 50ml ingeridos em jejum ou antes de dormir diariamente são suficientes.


Lactobacilos para gastrite

Às vezes, a gastrite mata as bactérias boas do estômago e, e sem elas, o tecido não se recupera. Por isso, a reposição dos lactobacilos é importante para povoar o estômago com bactérias benéficas e, assim, para a cura da gastrite. Lactobacilos são encontrados em iogurtes e, até mesmo, vendidos em pó.


Gastrite e tempero forte não combinam

Consumir alimentos temperados com condimentos fortes, como pimentas, vinagre, mostarda e noz-moscada, pode trazer desconforto. É melhor evitá-los e optar por outros temperos, como folhas e os diferentes tipos de sal.


Evite as frutas ácidas e alimentos em conserva

Frutas cítricas e alimentos em conserva, geralmente, não são bem aceitos pelo organismo de quem sofre com a gastrite. Portanto, é melhor evitar grandes quantidades ou o consumo frequente de limão, abacaxi, maracujá, laranja, tangerina, morango, picles, molhos e extratos industrializados.


Biomassa de banana verde

Quando cozida, a banana verde apresenta um amido resistente, definido como prébiótico. Essa substância funciona como alimento dos lactobacilos, mantendo-os vivos. Quando uma pessoa desenvolve gastrite, seu estômago é povoado com bactérias más, ocasionando déficit de bactérias boas. Ao ingerir a biomassa, os lactobacilos permanecem vivos, auxiliando na recuperação do tecido.

Peixe e frango com pouca gordura

Você não precisa cortar a carne de seu cardápio por causa da gordura. Carnes de frango cozido, refogado ou grelhado; peixes não muito gordurosos, como pescada e merluza – ao forno ou grelhados – e carnes vermelhas menos gordurosas – o que inclui patinho, coxão mole e lagarto – estão liberadas. Mas nada de frituras!


Alho é bom para gastrite

Consumir alho cru e cozido tem sido um remédio natural para problemas gastrointestinais há milhares de anos. O alho é um antiinflamatório natural e ainda tem algumas propriedades antibióticas. Alguns especialistas acreditam que o alho cru pode até ser capaz de ajudar a reduzir a bactéria H. pylori e inibir o crescimento de outras bactérias nocivas.


Inclua suco verde na dieta para gastrite

O suco de salsinha e couve é rico em clorofila, uma substância energizante e cheia de zinco e antioxidantes, itens necessários para a recuperação do estômago, além de vitamina C e magnésio. Para o preparo, bata os ingredientes verdes com suco de uma fruta, água e linhaça germinada. Para germinar a linhaça, basta colocar uma colher de sopa em um copo com água. Depois de quatro horas, a semente estará pronta para ser adicionada no suco verde. Veja também os benefícios do chá verde.

Legumes ou verduras refogadas

Consuma legumes e verduras – tanto no almoço quanto no jantar – mas lembre-se de refogá-los, já que folhas muito duras podem incomodar as paredes de seu estômago. Por isso, o consumo in natura de verduras como repolho, couve crua, escarola, alface e agrião seja evitado, pelo menos no começo.

Caldo de feijão

Embora o grão do feijão deva ser evitado por causa da fermentação que provoca, o seu caldo pode ser aproveitado. Além de ele ser facilmente digerido, você pode aproveitar os nutrientes que o feijão oferece e ainda matar a vontade, já que o gosto do caldo não se modifica quando separado do grão. Sopas de legumes e canjas também estão liberadas.


Se os sintomas forem muito fortes?

Se os sintomas forem intensos ou acontecerem com frequência, é fundamental consultar um médico. Só um profissional poderá indicar o tratamento correto e elaborar uma dieta equilibrada, que ajude você a recuperar a saúde do organismo. Leia mais detalhes sobre este assunto aqui.

Recomendados para você: